Florianópolis - O VI Encontro Brasileiro de Portadores de Câncer iniciou nesta segunda-feira (27), com cerca de 200 presentes reunidos no auditório do Hotel Cambirela, em Florianópolis. O evento, organizado pela Associação Brasileira de Portadores de Câncer (Amucc), pretende ampliar o debate sobre o combate ao câncer no Brasil, visando à garantia de direitos para os portadores e à entrada de recursos públicos para o diagnóstico e tratamento da doença. A Defensoria Pública da União (DPU) participou da cerimônia de abertura do evento, representada pelo defensor federal Gustavo de Oliveira Quandt.

Em sua fala, Quandt destacou a “imensa honra e satisfação” de participar de um evento voltado para uma causa tão importante, como o combate ao câncer. Também apresentou o papel da DPU na defesa das coletividades e dos setores mais vulneráveis. Para ele, o encontro também é um grande exemplo da capacidade de articulação da sociedade civil, como agente fomentadora do debate.

Além do defensor, compuseram a mesa inicial do encontro a presidente da Amucc, Leoni Margarida Simm, o presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), deputado Neodi Saretta, e a coordenadora da Frente Parlamentar de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer na Câmara dos Deputados, a deputada federal Carmen Zanotto. Grande parte das participantes estava vinculada às Redes Feminina de Combate ao Câncer de diversos municípios do Estado, como Jaraguá do Sul, Joaçaba, Florianópolis, Braço do Norte e Maravilha.

A DPU voltará a participar do evento na terça-feira, a partir das 15h. O defensor público federal Gabriel Faria Oliveira será o coordenador do painel “Direito de Tentar e Direito de Escolha dos pacientes – Controvérsias sobre a Fosfoetanolamina”.

Sobre a Amucc

A Amucc surgiu em 2000, a partir da articulação de um grupo de mulheres que foram diagnosticadas com câncer de mama, junto com voluntárias preocupadas com a causa. Com o crescimento da entidade, portadores de outros cânceres (homens, mulheres e crianças) também começaram a se unir ao combate à doença e a usufruir dos benefícios oferecidos pelo coletivo. Entre os pilares da Amucc está à garantia dos direitos dos portadores de câncer, promovendo assessoria jurídica gratuita aos seus associados, e também o acesso do paciente ao SUS (detecção precoce, diagnóstico e tratamento e cuidados paliativos) por meio de um sistema com porta de entrada definida, transparente e público.

Segundo a presidente Leoni Margarida Simm, a ausência de ação por parte do Estado é uma das grandes dificuldades da população portadora de câncer, principalmente no que diz respeito ao acesso ao diagnóstico. Atualmente, 46% dos pacientes são diagnosticados com a doença já em estágio avançado.

PAS/RRD
Assessoria de Comunicação Social
Defensoria Pública da União